Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Terça-feira, 04.04.17

“Aula” ao vivo sobre poda e enxertia (ver fotorreportagem)

P_20170401_154648_SRES.jpg

O professor Raul Rodrigues, que leciona na Escola Superior Agrária de Ponte de Lima, promoveu, no passado dia 1 de abril, em Soajo, uma sessão teórico-prática sobre técnicas de poda e enxertia, em mais uma organização do projeto Soajo em Movimento ConVida. A oficina, apesar de pouco participada, foi bastante pedagógica.

Quem não sabia ficou a saber que, após um longo período dominado pelo empirismo (conhecimento popular adquirido pela experiência e pela prática), a poda é, desde os anos oitenta do século passado, uma técnica que “faz apelo aos conhecimentos técnico-científicos” e “não deve ser encarada nunca como uma operação isolada”.

Ou seja, “a poda faz parte de um conjunto de operações na árvore”. Destas intervenções, as mais recorrentes são “mondas de flores e frutos”, “proteção fitossanitária”, “fertilização”, “rega” e “manutenção da superfície do solo”, sublinhou Raul Rodrigues.

Segundo o técnico convidado, a poda visa “levar a árvore à forma desejada”, “mantê-la nos limites de uma estrutura e configuração desejáveis”, “modificar-lhe o vigor”, “promover colheitas regulares e de qualidade”, fomentar o “bom estado sanitário” e “manter um bom equilíbrio entre vegetação e frutificação”.

Por sua vez, a enxertia, segundo a literatura, é uma “técnica de melhoramento genético” que consiste em “implantar parte de uma planta viva em outra planta de igual ou diferente espécie”, com o intuito de “propagar determinadas variedades”.

Neste processo, a planta introduzida (enxerto) tem a função de fornecer as melhores características aos frutos, enquanto a planta recetora (porta-enxerto) é responsável pelo suporte e pelo abastecimento de água e nutrientes essenciais.

São bons motivos para fazer enxertia a existência de “variedades que não produzem sementes”, o “aproveitamento de determinadas características do porta-enxerto”, a “mudança de uma variedade que passou a ser suscetível a determinada doença”, a “colocação de variedades afins na mesma planta” e a “necessidade de salvar uma árvore ferida ou espécie em vias de extinção”.

P_20170401_111911_SRES.jpg

P_20170401_111851_SRES.jpg

P_20170401_124150.jpg

P_20170401_120953.jpg

P_20170401_121026.jpg

P_20170401_121037.jpg

P_20170401_121229_SRES.jpg

P_20170401_121307_SRES.jpg

P_20170401_121258_SRES.jpg

P_20170401_121331_SRES.jpg

P_20170401_121532_SRES.jpg

P_20170401_122848_LL.jpg

P_20170401_122633_LL.jpg

P_20170401_121956_SRES.jpg

P_20170401_121916_SRES.jpg

P_20170401_121622_SRES.jpg

P_20170401_124629.jpg

P_20170401_122633_LL.jpg

P_20170401_122848_LL.jpg

P_20170401_123222.jpg

P_20170401_123555.jpg

P_20170401_123711.jpg

P_20170401_123736.jpg

P_20170401_124610.jpg

P_20170401_121956_SRES.jpg

P_20170401_125534.jpg

P_20170401_124829.jpg

P_20170401_124914.jpg

P_20170401_124917.jpg

P_20170401_124953.jpg

P_20170401_125005.jpg

P_20170401_125019.jpg

P_20170401_125127.jpg

P_20170401_125225.jpg

 

 

P_20170401_153940_SRES.jpg

P_20170401_153959_SRES.jpg

P_20170401_154008_SRES.jpg

P_20170401_154042_SRES.jpg

P_20170401_154119_SRES.jpg

P_20170401_154155_SRES.jpg

P_20170401_154228_SRES.jpg

P_20170401_155836_SRES.jpg

P_20170401_154300_SRES.jpg

P_20170401_154611_SRES.jpg

P_20170401_162538.jpg

P_20170401_154740_SRES.jpg

P_20170401_154836_SRES.jpg

P_20170401_155142_SRES.jpg

P_20170401_154445_SRES.jpg

P_20170401_160558_SRES.jpg

P_20170401_161109_SRES.jpg

P_20170401_162306.jpg

P_20170401_162309.jpg

P_20170401_162329.jpg

P_20170401_162421.jpg

P_20170401_162437.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:32



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30