Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Sábado, 11.06.16

Caminho da Ladeira: trilho com charme carece de recuperação

17.JPG

O sol parece que veio para ficar e os trilhos em comunhão com a natureza, mais do que uma tentação, são uma forma de evasão. As propostas são mais do que muitas e o difícil é escolher um circuito para começar a descobrir os refúgios de Soajo.

O trilho que atravessa o Caminho da Ladeira é um dos melhores para se fazer à aventura no meio de uma paisagem pura e selvagem. É um circuito pequeno. Cerca de 1900 metros, ida e volta, que encaixam, a preceito, na Reserva Mundial da Biosfera. O percurso inicia-se, justamente, junto à placa toponímica “Caminho da Ladeira”.

Com a escola primária e os espigueiros (da Eira Comunitária) nas costas, os primeiros passos denunciam logo algumas atrações para um passeio pedestre (talvez organizado no futuro!). É olhar com atenção, à direita, para uma mina sobranceira, espécie de caverna, “espetada” num socalco. A seguir, em contraste, saca-se uma foto a um velho cortelho transformado em armazém de lixo e, sem esperar, admira-se uma borboleta que, em voo rasante, posa, num ápice, na (densa) vegetação, para um flash. À frente, onde “acabam” os terrenos em socalco, espreita-se a ruína de duas casas do campo.

Para ir daqui à Ponte da Ladeira, há que descer por um caminho estreito, aqui e acolá, repleto de vegetação e de arbustos. É um percurso para ir parando, olhando e desfrutando das vistas do horizonte. O caminho é recortado por pedras e piso desnivelado, com vales em cuja cumeeira se vê, nesta época primaveril, uma vegetação cheia de vida, e a paisagem é dominada por carvalhos, giesta, acácia, urze e hipericão. Toda a flora revela um conjunto autóctone. Mas o muito material combustível disseminado por pequenas bouças pode funcionar como um rastilho para incêndios devastadores, sobretudo quando os peritos anunciam um verão hostil…

Se o Caminho da Ladeira reclama, como se depreende por este relato, uma recuperação urgente para uma melhor mobilidade dos pedestrianistas, que dizer então da desleixada Ponte da Ladeira? É um belo monumento que, no entanto, carece de uma intervenção, pois nele até o gradeamento se apresenta inseguro. E, nas cercanias, falta um espaço condigno para piqueniques.

Neste pedaço de natureza, onde o chilrear é “música para os ouvidos”, brota água oxigenada pelas lagoas que atravessam o chamado “Trilho da Água”, onde, a montante, o Poço Negro é uma das principais atrações para banhos refrescantes. Como também o são os poços das Canejas e o do Luzio, que precedem o da Ladeira. Pena que nestas riquezas naturais, de águas límpidas (e revoltas no inverno), as trutas selvagens e autóctones, tão desconfiadas quanto lutadoras, como os antigos as definiam, sejam preciosidades cada vez mais raras.

É no sopé do vale que, ouvindo o barulho do chapinhar da água nas fragas (outro dos sons do veraneio), se poderia aproveitar o espaço disponível (quase todo coberto de mato) para obrigar o corpo a abrandar… Era boa ideia instalar sinalética, painéis informativos e, sobretudo, equipamentos (espreguiçadeiras, por exemplo…) para relaxe dos caminheiros – estes, num roteiro vespertino, tinham como passar o tempo até ao pôr-do-sol, antes do regresso ao ponto de partida, percurso no qual, com alguma sorte, é possível avistar fauna selvagem como o javali, o veado ou o corço.

Mas a operacionalização deste trilho reclama uma estratégia de recuperação para valorizar um património natural que tem enorme potencial. Neste sentido, a candidatura ao ‘Programa 2020’ de projetos diferenciados surge – na condição de haver conhecimento, capacitação e trabalho de parceria – como um instrumento de financiamento ao dispor dos territórios que, sendo de baixa densidade, beneficiam, no entanto, de um rico espólio natural, como é o caso de Soajo.

Só que, pelo menos até agora, a ver pela falta de esclarecimentos prestados em sucessivas assembleias de freguesia, nenhum projeto de envergadura foi candidatado pela Junta de Soajo àquele programa comunitário, bastante direcionado para o turismo de natureza.

Daqui a pouco pode ser tarde…

1.JPG

2.JPG

2..JPG

3.JPG

4.JPG

5.JPG

6.JPG

7.JPG

8.JPG

9.JPG

10.JPG

11.JPG

12.JPG

13.JPG

14.JPG

15.JPG

16.JPG

18.JPG

19.JPG

27.JPG

19.JPG

21.JPG

22.JPG

23.JPG

24.JPG

25.JPG

 

20.JPG

26.JPG

28.JPG

29.JPG

30.JPG

31.JPG

32.JPG

33.JPG

34.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:07



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2016

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930