Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Quinta-feira, 12.01.17

Corvo-marinho e outras espécies predadoras ameaçam peixes do rio Lima

ijnd.jpg

Parece ter caído, irremediavelmente, no esquecimento. O rio Lima, ou rio Lethes, “rio do esquecimento” (porque, segundo a lenda, as suas águas tinham o condão de apagar a memória, isto é, de fazer esquecer tudo o que acontecera em vida), é um “tesouro” inexplorado, está infestado de espécies invasoras (biológicas, piscícolas e avícolas aquáticas), algumas das quais predadoras, e, associado a isso, quase não tem trutas.

Os relatos de vários soajeiros, amantes da pesca, que (ainda) frequentam o rio, não deixam margem para dúvidas. O outrora rio truteiro foi, dizem, invadido por espécies vorazes, casos do lúcio, da carpa e do achigã, que têm uma “dieta” à base de peixe autóctone (truta, escalo, boga e barbo), população piscícola que começa a escassear.

Sem certezas, o presidente da Associação de Pesca Desportiva do Vez frisa que as espécies vorazes “poderão ter descido do lado galego ou ter sido introduzidas localmente”, sendo certo que o lúcio “traz consequências muito negativas”, denuncia José Carlos Caçador Marinho.

truta.jpg

carpa.jpg

achigã.jpg

Como se não bastassem estas ameaças à preservação da população autóctone, o território está confrontado com o avanço de uma praga que reclama atenção urgente das entidades, a exemplo do que está a ser feito noutros países. Trata-se do corvo-marinho, que, nos últimos anos, parece ter encontrado no Lima um “santuário”. Esta ave aquática, como grande predadora piscícola que é (um corvo-marinho adulto come cerca de sete quilos de peixe por dia), está a desequilibrar fortemente o habitat, e, segundo vários testemunhos, já nidifica por cá.

Para estudar medidas de controlo, realizou-se, recentemente, uma reunião que juntou à mesa, entre outros, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, vários pescadores de competição e entidades ligadas à pesca, nomeadamente a Associação de Pesca Desportiva do Vez, que tem denunciado o problema da replicação do corvo-marinho. Segundo o presidente da referida coletividade, “houve a promessa de serem tomadas medidas no futuro”.

Corvo_marinho_de_faces_brancas_11.jpg

corvo.jpg

Phcarb_05c.jpg

Fora de controlo, também, está a erva-pinheira, alga que tem vindo a alastrar no leito do rio Lima, que apresenta extensos “lençóis” desta espécie, cuja remoção, por ser muito onerosa e tecnicamente complexa, tem estado fora das prioridades dos governantes.

“É um assunto que deveria ser visto e analisado pelas entidades competentes para que venham a ser tomadas medidas de desinfestação”, avisa José Carlos Caçador Marinho.

IMG_4297.JPG

IMG_4324.JPG

IMG_4305.JPG

IMG_8444.JPG

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:35



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2017

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031