Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Teresa Araújo, Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Quinta-feira, 12.05.16

Soajeiras tiveram de abandonar casas devido aos incêndios no Canadá

4476605.jpg

Pelo menos duas mulheres de Soajo tiveram de ser retiradas da cidade canadiana de Fort McMurray, onde, desde o passado dia 1 de maio, começou a lavrar um devastador incêndio. “A minha filha está sã e salva”, diz o soajeiro Alexandre Lage, adiantando que a descendente abandonou a referida cidade quando as chamas se acercaram da casa.

“Devido ao incêndio, foi emitido um aviso de evacuação da localidade [Fort McMurray, província de Alberta] e a minha filha, apesar de não ter arredado pé durante horas, foi obrigada a deixar a zona com a roupa que tinha vestido, levando com ela os cães, mas felizmente encontra-se bem, em Edmonton [a 430 quilómetros de Fort McMurray], o mesmo acontecendo com uma luso-descendente, que tem raízes familiares em Soajo”, acrescenta Alexandre Lage.

No epicentro do incêndio, o Serviço de Alerta de Emergência Alberta emitiu, por volta das 16.00 (22.00 em Portugal Continental), do dia 3 de maio, aviso de retirada obrigatória para cerca de 110 mil habitantes que a cidade de Fort McMurray (e subúrbios) abriga, com exceção do setor em torno do aeroporto sudeste. Com tantas frentes por controlar, durante vários dias, as chamas destruíram cerca de 1100 casas, mas as habitações daquelas duas portuguesas não foram atingidas pelo inferno das chamas.

Segundo a imprensa nacional, o consulado português “não foi contactado por cidadãos portugueses”, e, fora estas duas situações, também “não tem conhecimento de mais portugueses que tivessem sido retirados da área afetada pelo incêndio”. Contactada por este blogue, uma fonte da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez referiu “desconhecer” estas ocorrências, comprometendo-se, porém, a fazer diligências no sentido de apurar “informações sobre o que se está a passar.”

Desde o passado dia 1 do corrente mês, mais de mil quilómetros quadrados de floresta acabaram reduzidos a cinzas, neste que é o maior desastre natural da história do Canadá. Segundo estimativas, a reconstrução da cidade de Fort McMurray acarretará um custo de 9 mil milhões de dólares canadianos, cerca de 6 mil milhões de euros.

Fort McMurray tem população itinerante

De acordo com Maria João Boavida, cônsul-geral de Portugal em Vancouver, a cidade de Fort McMurray “tem uma população temporária muito importante, porque é a principal zona de exploração petrolífera de Alberta. Há muitos trabalhadores provenientes de outras províncias, como Quebeque, Colúmbia Britânica ou Nova Escócia, daí que o número de residentes possa, efetivamente, não corresponder aos habitantes registados na região”, referiu ao DN aquela responsável.

alberta_canada_incendio_fotoepa1953a1b2.jpg

incendio_fort_mcmurray_canada_050516_epa214815f6.j

fogo_em_alberta_canada_foto_epa_chris_schwarz_2112

canada_incendio1465e582.jpg

phpThumb.jpg

naom_572bb63c38d5b.jpg

naom_572bb63d3a6de.jpg

Fotos: noticiasaominuto.com; sapo.pt; rtp.pt; br.sputniknews.com; elperiodico.com; Chris Schwarz

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:27



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2016

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031