Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Sexta-feira, 28.12.18

Plataforma digital sem custos aproxima produtores artesanais do mercado internacional

45439538605_2d5208a9d4_bÀ distância de um clique, pode a curto prazo um soajeiro radicado nos Estados Unidos, através da marca “100% Alto Minho”, comprar um precioso cabaz de produtos artesanais de Soajo, combinando mel, compotas, pão-de-ló e espigueiros em miniatura, isto na condição de os produtores locais aderirem à plataforma “Alto Minho 2 Market” e de provisionarem um stock mínimo à Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), que é quem gere o site.

A partir de agora, os produtores de Soajo, assim como de toda a região do Alto Minho, podem inscrever-se graciosamente na plataforma com o objetivo de disponibilizarem artigos para o mundo inteiro. Esta “loja”, que divide os produtos nas categorias de “Artesanato”, “Doces”, “Fumeiro” e “Vinhos”, requer que os aderentes forneçam, no entanto, uma quantidade mínima de artigos à CEVAL para que esta os possa comercializar online.

O site destina-se não só às comunidades portuguesas radicadas além-fronteiras, que estão espalhadas pelos vários cantos do planeta, como também ao restante mercado internacional, permitindo potenciar os produtos endógenos com a marca “100% Alto Minho”.

Segundo Luís Ceia, presidente da CEVAL, nesta fase de arranque, aderiram à iniciativa cerca de 150 produtores da região. Destes, cerca de quarenta já estão a operar na plataforma, onde estão referenciados aproximadamente cem produtos, “representativos da diversidade do Minho”, lê-se no portal.

De acordo com a página oficial, no ranking dos produtos mais populares contam-se o vinho Terras de Conclave (vinho Alvarinho), os têxteis de Orlanda Duarte (Bolsa pequena azul, Algibeira e Coletes bordados à mão), os bonecos Minhotos (Maria e Manuel) e o vinho arcuense Quinta do Formigueiro (Verde Vinhão)

Apostado na valorização da marca “Alto Minho”, Luís Ceia lança um repto aos agentes do setor. “Queremos que municípios e associações de desenvolvimento regional e setoriais ligadas à agricultura e a este tipo de produtos tomem a marca como deles, porque o objetivo é a promoção do território e para isso tem de haver mais empenho de todos na divulgação da marca, independentemente do concelho. Temos de perder a ideia de quintas e quintinhas, e perceber a região como um todo”, sublinha o responsável.

A mensagem é, portanto, que todos trabalhem na base da parceria e em nome de um interesse maior: a região.

Para além de cabazes diversificados, também é possível adquirir no site produtos individualmente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 17:31

Sexta-feira, 21.12.18

Natal pouco iluminado este ano

IMG_9464A poucos dias do Natal, Soajo está longe de exaltar a data como em anos anteriores. O Largo do Eiró, sala de visitas da Terra, apresenta-se (ainda) sem luzes de Natal e sem enfeites, e o mesmo acontece na Igreja Paroquial de S. Martinho da Vila de Soajo, onde o presépio no exterior é o único elemento celebrativo da quadra.

Em anos recentes, por esta altura, já havia iluminações e decorações natalinas no emblemático Largo, mas, este ano, estranhamente, parece que o Natal vai ser menos colorido.

Apesar da falta de iluminação institucional, há casas e varandas de particulares, bem como espaços comerciais, cheios de luzes, ornamentações e apetrechos alusivos à época. E em todos os recantos onde as luzes cintilam há uma magia especial.

Mas o Natal é muito mais do que isso. É paz, harmonia e amor. É isto tudo ao mesmo tempo.

A todos, votos de um feliz Natal e de um venturoso 2019!

IMG_9463

IMG_9471

IMG_7110

IMG_7084

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:30

Quarta-feira, 19.12.18

Festejos na passagem de ano

IMG_7160O Rancho Folclórico das Camponesas da Vila de Soajo despede-se de 2018, brindando ao novo ano, com a organização de mais uma festa de arromba na Casa do Povo. O recheado programa – “comer, beber, rir e dançar” – é uma proposta assaz apelativa para os festivaleiros do momento.

O menu inclui entradas variadas, marisco, bacalhau gratinado, leitão, sobremesas, vinhos, sumos e champanhe.

Antes e depois das 12 badaladas, desta que será a última noite do ano, a animação ficará por conta de um DJ e dos tocadores de concertina que se quiserem juntar à festa.

A todos, votos de um 2019 pleno de boas realizações…

IMG_7171

IMG_7213

IMG_7184Fotos de arquivo

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:35

Segunda-feira, 17.12.18

Mercado de Natal prendou crianças com árvores (ver fotorreportagem)

48386433_546859369163591_2744348458486857728_nA quarta edição do Mercado de Natal, ocorrido no fim de semana de 15 e 16 de dezembro, na senda das edições anteriores, misturou doçaria, mel, licores, compotas, bolachas, artesanato, cerâmica, artigos têxteis, acessórios de moda, quadros (pinturas), plantas, chás, arranjos ornamentais e outros saberes e sabores tradicionais. Para além da componente comercial, a organização promoveu um diversificado programa de entretenimento, incluindo recriação de usos e costumes da Terra, com realce para os cantares e para as oficinas do pão, da lã e do bolo de lasca.

Durante estes dois dias, viveu-se, neste mercado artesanal, como é timbre da quadra, um perfeito ambiente de harmonia, amor e partilha. A juntar aos produtos endógenos e às tradições culturais e gastronómicas lá recriadas, como o caldo no pote, deram “magia” a esta organização os enfeites, as luzes, a iluminação no exterior (à noite), as bagas de azevinho, os pinheiros, os presépios, os sinos, as velas, o braseiro para aquecer os corações… E Alexandre Gonçalves a fazer de “Pai Natal” encarnou na perfeição o espírito natalício em torno da criançada, com a entrega a cada petiz de um “presente especial, uma árvore”, oferta de Manuel Silva.

“[Árvore] pequenina como tu, ela vai precisar de ti para ser plantada e cuidada, para poder crescer e devolver à ‘nossa’ Serra a beleza das florestas viçosas e bonitas!”, excerto de uma mensagem, cheia de ternura, que foi afixada na parede lateral do salão do Centro Social e Paroquial de Soajo.

Este mercado alternativo, independentemente do negócio gerado (mais proveitoso no domingo do que no sábado), foi mais uma boa jornada de promoção dos produtos locais.

De referir que o cabaz de Natal, oferta dos expositores presentes na “feira”, saiu em sorte a Celine Caldas, e que a receita das rifas custeou, na íntegra, os produtos usados quer na preparação de petiscos quer na oficina do pão.

IMG_9421

IMG_9418

IMG_9399

IMG_9358

IMG_9361

IMG_9362

IMG_9370

IMG_9366

IMG_9376

IMG_9375

IMG_9382

IMG_9380

IMG_9391

IMG_9386

IMG_9354

IMG_9403

IMG_9400

IMG_9411

IMG_9406

48360878_212810366296497_161206550868787200_n

48366884_322923225214058_4819327874504851456_n

48377432_298303970808185_8605374612882063360_n

48363027_1173981059435224_673303086483111936_n

48374998_291262684860140_7078045450279845888_n

48374087_2145341825776924_6876751336822538240_n

48381666_1137542376421871_6446337249452752896_n

48389463_279797666053463_2334141333251293184_n

48390084_618946398535524_4544352570587480064_n

48426761_264650240873683_1677905712363077632_n

48373980_1078060532374265_4255042035930628096_n

48406213_373395896768851_6681610459801452544_n

IMG_9379

IMG_9378

48398113_308720446517994_166821447514193920_n

IMG_9393

48363740_2017530615027213_7517568523334320128_n

48360957_129125671345504_3873341639430766592_n

48376577_1211838508955410_3482566453775826944_n

48361773_1090641994429646_3558260484954128384_n

48363300_559222501169047_4482683956977729536_n

48366905_1901420086652323_3818655994104250368_n

48362911_274043673303719_5171200152630722560_n

48362842_264302584265153_2422979085341818880_n

48378522_1971877949575632_6970657648538550272_n

48374755_214948862760713_6803800076054429696_n

48364984_339302660002011_3484128524791447552_n

48417229_2259115261032213_6514282412304760832_n

48407939_129036348021122_903229161332539392_n

48424533_270132770338820_212982510471086080_n

48379486_271352183737864_3905354495999082496_n

48378197_584745578643648_620506810155008000_n

48406922_2209098756031364_1265911554314862592_n

48366493_1224460464385337_327521617443815424_n

48363086_761035314259081_7344951700353974272_n

48358159_375409036561668_9181293950198087680_n

imgpsh_fullsize (4)

imgpsh_fullsize (2)

imgpsh_fullsize (1)

48416233_282047915988850_5173842304842072064_n

48409138_355805765207571_1556679830936748032_n

48392494_764508520561545_6244449726133960704_n

48384851_360756308021026_6393258664924282880_n

48380987_563823354078754_5480690165926068224_n

48367181_953133834881827_1561338332854616064_n

48367506_290999051757893_2488545411837460480_n

Fotos: Soajo em Notícia e Rose Marie Galopim

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:34

Quinta-feira, 13.12.18

Reportagem completa da Assembleia de Freguesia de Soajo

ASSReunida, no passado dia 8 de dezembro, a Assembleia de Freguesia de Soajo aprovou, por maioria, com quatro votos a favor e quatro abstenções, o Plano de Atividades (PA) e o Orçamento para 2019. O presidente da Junta de Freguesia, segundo um direito que lhe assiste, optou por tecer explicações muito telegráficas, do início ao fim, pelo que o documento que vai reger o exercício económico de 2019 acabou por ser discutido de um modo muito superficial.

“Não há dinheiro”, eis o grande mote que Manuel Barreira da Costa lançou logo no início da sumária apresentação. Sem qualquer novidade, a Junta de Freguesia terá um “PA muito diminuído, mesmo assim, há uma previsão em alta, […] tudo junto perfaz cerca de 161 mil euros”, estima o presidente da Junta de Freguesia, revelando, porém, alguma descrença relativamente à dotação total desta verba.

Face às limitações de natureza financeira, não serão por isso executadas grandes obras materiais pela Junta, que promete reforçar a estratégia iniciada há um ano. “Vamos continuar a aposta na limpeza, mas as pessoas […] devem colaborar connosco”, avisa Manuel Barreira da Costa, que deu conta aos presentes de um acordo com a Câmara para o estabelecimento de um trabalho de “parceria” nos lugares de Adrão e da Várzea, iniciativa que, eventualmente, pode ser alargada a Vilar de Suente e Paradela.

“Vamos colocar contentores amovíveis (240 litros, com rodas) no centro destes lugares, fazendo a recolha duas vezes por semana para o respetivo terminal, agilizando, deste modo, a operação do camião dos serviços municipais”, o qual, nos restantes lugares, consegue ir ao centro.

Para além do investimento na área ambiental, o executivo da Junta, noutro contexto, pretende financiar atividades recreativas a pensar no público sénior. “É importante proporcionar momentos de diversão, como passeios, às pessoas da terceira idade, porque o papel da Junta não é só fazer caminhos, aliás, estes, já, estão todos feitos, carecendo apenas de um trabalho de manutenção”, contextualizou o autarca do PSD.

No período aberto à discussão, a vogal Rosalina Araújo, da CDU, apesar de reconhecer que a rubrica “Outros” faz parte da nomenclatura subjacente ao Plano Oficial das Autarquias Locais (POCAL), suscitou explicações sobre designações que considerou “subjetivas”, exemplos de “Outros trabalhos especializados”, “Outros serviços”, “Outros serviços diversos” e “Outras beneficiações diversas”, por considerar que estas menções não esclarecem nada”.

Na resposta, Manuel Barreira da Costa refugiou-se na terminologia para não apontar obras/intervenções/trabalhos em concreto. “No POCAL, é mesmo assim... Por exemplo, há uma verba destinada para cada um dos lugares e, segundo a rubrica “Outras beneficiações diversas”, pode tratar-se da reparação de um caminho, de um acrescento de metros a um caminho…”, sublinhou o presidente da Junta, dizendo ainda que “os lugares que mais beneficiaram em 2018, Vilar de Suente e Adrão, vão beneficiar menos em 2019”, em respeito, segundo se depreende, por uma política de equidade na distribuição de verbas.

Devido às explicações lacónicas de Manuel Barreira da Costa, que encerrou este assunto com um rotundo “não respondo mais!”, a vogal eleita pela Coligação Democrática Unitária acusou o presidente da Junta de imitar o “blackout dos clubes de futebol, lamentando, consequentemente, que os eleitos do órgão deliberativo não saiam minimamente esclarecidos das assembleias de freguesia.

Por seu lado, o deputado Manuel Esteves Brasileiro, do MSI, defendeu investimentos na freguesia para melhoramento de caminhos.

***

Período de antes da ordem do dia

No período de antes da ordem do dia, foram feitas recomendações e solicitados esclarecimentos ao executivo sobre diversos temas. Com algum detalhe, faz-se, de seguida, uma compilação do que foi sugerido, perguntado e respondido.

 

Fontenário

A vogal Rosalina Araújo recomendou uma intervenção na fonte do Poço da Vila (Pocinho), por baixo da qual há, alegadamente, uma fuga de água.

“Deitou sempre pouca água, mas agora ainda deita menos”, frisou.

O presidente da Junta notou que “a fonte foi limpa”, mas, se precisar de uma reparação, a mesma será executada.

IMG_8962

Placas de identificação

Sobre este tópico, a deputada Rosalina Araújo foi direta ao assunto: “As placas de toponímia, na maior parte dos caminhos, estão desbotadas… A tinta desapareceu, se calhar, precisavam de uma pequena manutenção para que se conseguissem ler convenientemente”, exortou a vogal.

Em referência a este tema, o presidente da Junta de Freguesia explicou que não ia ser feita uma intervenção nesses apetrechos, porque a Câmara “vai modificar tudo em relação à toponímia”.

Entretanto, no seguimento da sinalização das lagoas (a placa junto à ponte do Covelo já foi removida), foi assinalado que, na zona de Adrão, também há poços por identificar.

Confrontado com esta recomendação, Manuel Barreira da Costa admitiu que “as lagoas deste lugar podiam estar mais bem identificadas, mas, colocando sinalização lá, corre-se o risco de a autarquia ser responsabilizada em caso de acidente”.

Apesar disso, o autarca prometeu ponderar uma decisão a contento de todos.

 

Espigueiros

O mau estado de conservação dos espigueiros foi outra das questões que a deputada Rosalina Araújo suscitou nesta reunião.

“[…] Temos por toda a freguesia espigueiros em ruínas e alguns em risco de ruir, podendo, eventualmente, provocar danos, porque estão sobre caminhos, […] exemplo flagrante disso é o que está no Caminho do Concieiro”, apontou a deputada, acrescentando que o Decreto-Lei 8/83, de 24 de janeiro de 1983, diz expressamente que “no concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, é considerado imóvel de interesse público o conjunto de todos os espigueiros de Soajo, na freguesia de Soajo”.

Mas, contra o que reza, categoricamente, o Decreto-Lei, o presidente da Junta alegou “não ser verdade que os espigueiros sejam todos classificados como imóvel de interesse público para Soajo”, escudando-se no facto de “um advogado ter admitido que qualquer proprietário pode vender um espigueiro, inclusive os que estão na Eira do Penedo, que são classificados, não os podendo apenas tirar do sítio”.

Quanto ao espigueiro que se encontra em ruína nas proximidades do Largo do Eiró, Manuel Barreira da Costa sublinhou que foi remetida “carta à Câmara a denunciar tal facto, acompanhada de fotografia”, informou o presidente da Junta, que, em jeito de recado, soltou um desabafo.

“Não estamos, aqui, a dormir, nem gostamos que nos passem um certificado de incompetência, porque, afinal, a CDU também está representada na Junta de Freguesia”, atirou o autarca, sendo certo, no entanto, que ao órgão deliberativo compete fiscalizar a atividade do executivo.

A respeito dos espigueiros ainda, a deputada Manuela Jorge solicitou ao executivo a instalação de painéis informativos na Eira Comunitária, tendo o presidente da Junta salvaguardado que os mesmos “estão já cercados de placas”.

A vogal do MSI sugeriu também que fosse instalada uma placa descritiva no Pelourinho, mas Manuel Barreira da Costa lembrou que já existe informação no local.

IMG_8966

19486964_otBU6

Coberto

O tema do coberto para os passageiros que aguardam pelo transporte coletivo, junto ao monumento alusivo aos 500 anos do Foral de Soajo, voltou a primeiro plano nesta Assembleia e o presidente da Junta aproveitou a deixa para dar uma boa nova.

“Depois de uma reunião com a Câmara, está encomendada para o local a paragem do autocarro e também está encomendado um abrigo”, comunicou.

 

Parque de autocaravanismo

Rosalina Araújo quis saber qual a perceção dos utentes do parque de autocaravanismo em relação à tarifa de permanência na estação de serviços após as primeiras 24 horas, bem como o volume de receita arrecadada até agora e o nível de satisfação dos autocaravanistas relativamente à infraestrutura, só que o presidente da Junta remeteu explicações para 2019.

“O tesoureiro é que pode dizer quanto rendeu ao certo, pois a Junta passa um recibo a cada pessoa que paga para pernoitar lá… Mas estas contas serão apresentadas conjuntamente com as outras em abril de 2019. Não vejo urgência nessas contas”, considerou Manuel Barreira da Costa.

43737703762_35bfc35c3b_b              

Passadiços do rio Adrão

A candidatura relativa aos passadiços do rio Adrão, submetida (ou a submeter) ao PROVERE pela Câmara, mereceu pormenorizada explanação da deputada Rosalina Araújo.

“Somos uma terra de pouca gente, não vale a pena virar-nos uns contra os outros, pois, de uma forma ou de outra, todos queremos o mesmo para Soajo. Mas este projeto […] não foi apresentado a esta Assembleia, que não foi sequer consultada – mais do que isso, não foi ouvida a opinião do povo soajeiro. […] Lembro que, a ladear as duas margens, existe propriedade privada, e não podemos fazer obras no que é de particulares. Por outro lado, sabemos que, em dias muito invernosos, o rio Adão vem de monte a monte e o passadiço, suspenso, será de certeza um valor investido que exigirá reparações avultadas no futuro”.

“Há, continua Rosalina Araújo, outros percursos e outras possibilidades de fazer uma travessia alternativa, nomeadamente todo o percurso do rego dos Martinhos, que nos leva até à Trapela, onde bastaria uma ponte para fazer a travessia, havendo uma série de caminhos antigos que podem ser aproveitados para serem convertidos em trilhos. Dessa forma, far-se-ia uma manutenção do rego dos Martinhos (isto apesar de os campos não terem culturas de milho há muitos anos”), salientou a vogal, exortando a Junta “a sensibilizar o executivo camarário, numa próxima Assembleia, para estas questões”.

Na resposta, o presidente da Junta foi taxativo em relação ao procedimento adotado: “Não temos nada de trazer à Assembleia de Freguesia o projeto que a Câmara candidatou, isso é com eles, nós trouxemos, aqui, em devido tempo, o projeto que será submetido pela Junta, aquele que vai do Poço Negro até ao Poço das Canejas. São projetos independentes e o nosso ainda não foi aprovado, faltam coisas pequenas”, especificou Manuel Barreira da Costa.

 

Lar de idosos

O 2.º secretário da Mesa, António Cerqueira, recomendou à Junta de Freguesia a abertura de uma conta bancária para recolha de donativos destinados à construção do lar de idosos. “Cada um dá o que entende para ver se isto começa a mexer um bocadinho”, justificou o eleito.

Mas o presidente da Junta de Freguesia rejeitou a ideia. “É descabido criar mais uma conta em nome da Junta. […] Temos conta aberta, não vamos abrir contas cada vez que há um evento qualquer, as pessoas, se quiserem depositar dinheiro em nome da Junta, para uma iniciativa qualquer, podem fazê-lo na conta que temos, basta pedir-nos o IBAN e nós fornecemo-lo”, vincou Manuel Barreira da Costa, antes de apontar as responsabilidades de uns e de outros.

“Já tivemos uma reunião, que correu muito bem, com a IPSS de Soajo, representada pelo padre Custódio Branco, […] mas acho que isto [lar] tem mais que ver com a IPSS de Soajo”, rematou o presidente da Junta.

***

Apresentação da Comissão de acompanhamento dos limites da freguesia

Materializando uma proposta apresentada pela CDU há cerca de um ano, foi criada, pelo executivo, uma Comissão de acompanhamento para tratar dos limites da freguesia.

Este grupo é constituído pelos seguintes elementos: Manuel Barreira da Costa, Fernando Gomes e Sandra Barreira (em representação da Junta de Freguesia); António Enes Domingues (Assembleia de Freguesia); Cristina Martinho (Baldios); António Cerqueira (Clube de Caça e Pesca); Ivo Baptista (Associação Desportiva e Cultural de Soajo); Virgílio Barreira (em representação do lugar de Vilar de Suente, que confina com Cabana Maior); e Armando Morgado (em nome do lugar de Adrão, tendo em consideração que os montes deste lugar, bem como os da Várzea, confrontam com a freguesia da Gavieira).

Notas

  1. A foto que encima a notícia é de arquivo.
  2. A reportagem foi redigida a partir da gravação feita na Assembleia sem interferência nem intervenção de qualquer dos eleitos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:33

Pág. 1/3



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2018

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031