Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

O projeto transfronteiriço “Lima Fronteira Esquecida” vai beneficiar de fundos europeus no âmbito do programa Interreg V, anunciou o jornal La Voz de Galicia no passado dia 12 de março, com base em informação comunicada ao Conselho provincial. A iniciativa permitirá dotar a Galiza e o Alto Minho (municípios da Ribeira Lima) de uma verba superior a 1,6 milhões de euros para desenvolvimento de ações ambientais com fins turísticos.

A candidatura, integrada no Programa de Cooperação Transfronteiriça Portugal/Espanha (POCTEP), engloba um plano de ações para um melhor aproveitamento das potencialidades do rio Lima. Neste contexto, as localidades da raia visarão acrescentar valor à zona fluvial mediante intervenções na esfera ambiental e patrimonial.

Os municípios de Arcos de Valdevez, Lobios e Bande (estes dois da Galiza), que concertaram a candidatura ao programa Interreg, são dos que mais têm a ganhar com este projeto transfronteiriço. Agora que está garantido o financiamento, crê-se que, finalmente, o projeto de desenvolvimento da albufeira da Várzea – sucessivamente adiado por falta de verbas – poderá ser uma realidade num futuro não muito distante. Ora, tal como está previsto no Plano de Ordenamento das Albufeiras (POA), uma das intervenções a levar a cabo consistirá, justamente, na construção de um ancoradouro na Várzea.

Mas o POA também contempla um outro ancoradouro ao longo da bacia do rio Lima, não em Soajo, é certo, mas na freguesia vizinha de Ermelo, projeto que também deverá ser desbloqueado com a aprovação desta candidatura pelo Interreg. Sem dúvida que o troço do rio que ladeia a ecovia de Ermelo, caso sejam criadas as devidas condições infraestruturais, vai beneficiar de raras aptidões para a prática de desportos náuticos.

Para além disso, no plano de ações a executar ao abrigo de projetos complementares, constará a “criação de um circuito com pacotes turísticos entre Ourense e os concelhos portugueses da Ribeira Lima [Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo]”, de acordo com declarações proferidas pelo edil João Manuel Esteves, em sede de Assembleia Municipal, no ano findo.

Solucionado o problema da falta de dinheiro, o pensamento dos responsáveis políticos, a partir de agora, vira-se para a diversificação do turismo no território da Galiza e do Alto Minho, através de investimentos considerados reprodutivos, caso dos equipamentos ligados aos desportos náuticos, focados no impulso turístico.