Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

A caixa Multibanco, sediada no edifício da sede da Junta de Freguesia (Caminho do Concieiro), “vai ser retirada de Soajo daqui a três meses”, segundo informou o presidente do executivo, Manuel Barreira da Costa, na Assembleia de Freguesia, realizada no passado sábado.

Em causa está uma “proposta do Millennium BCP” no sentido de “cobrar à Junta uma taxa mensal pelo número reduzido de transações” de modo a “assegurar o funcionamento do serviço”. A isso acresce que, na correspondência enviada à Junta, a referida instituição bancária manifesta o propósito de custear a substituição da caixa Multibanco em uso por um equipamento mais moderno, ficando-se por saber se em cima da mesa está a instalação de uma máquina ATM, que cobra comissões sem pré-aviso.  

De acordo com as condições requeridas pelo banco privado, só com um mínimo de 6 mil transações por mês é que a Junta de Freguesia fica isenta de pagar qualquer taxa, pelo que abaixo deste número o serviço será onerado nas contas da autarquia.

Assim, à luz da proposta, se o número de transações mensais se situar entre 4500 e 5999, está previsto um custo de 160 euros por mês; se houver um movimento de 3 mil a 4999, o valor a pagar dispara para 380 euros; se o total de transações variar entre 1500 e 2999, o que atualmente acontece, a autarquia tem de pagar 600 euros ao mês; no caso de as transações variarem entre mil e 1499, a Junta fica obrigada a pagar 800 euros mensais; por fim, até mil transações, a Junta tem um custo de mil euros, um valor muito acima dos “80/100 euros” que o presidente da autarquia diz estar recetivo a pagar para assegurar a prestação deste “serviço público”.

Tendo em conta a “exorbitância” dos valores comunicados na proposta do Millennium BCP, a Assembleia de Freguesia aprovou, por unanimidade, um voto de repúdio contra a retirada da ATM e dele foi dado conhecimento àquele banco privado.

Para sanar o problema, a Junta comprometeu-se a fazer diligências junto do Crédito Agrícola com a finalidade de salvaguardar a continuidade do serviço em Soajo.

Entretanto, de norte a sul de Portugal, as caixas Multibanco estão a ser substituídas por ATM, à primeira vista pode parecer igual, mas, segundo uma investigação do jornal Sol, não é bem o caso, pois o levantamento a crédito implica a cobrança de comissões, sem pré-aviso, como se o titular da operação estivesse no estrangeiro, havendo várias queixas da situação.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.