Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) inscreveu a manifestação “Canto a Vozes de Mulheres”, onde se incluem as Cantadeiras de Soajo, no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, segundo o Despacho de 22 de novembro de 2023, assinado por Rita Jerónimo, subdiretora-geral do Património Cultural.

Esta é uma tradição ancestral que ocorre em diversas localidades do Norte e Centro do Portugal, especialmente no Alto Minho, região onde perduram grupos de vozes femininas, como as Cantadeiras de Soajo e Vilarinho das Quartas (pertencem à Associação Cantadeiras de Mulheres), as Cantadeiras de Vitorino de Piães (Ponte de Lima) ou as Cantadeiras de Bravães (Ponte da Barca).

Estas manifestações alto-minhotas ficaram retratadas no projeto audiovisual “Polifonias do Alto Minho”, assim como na iniciativa “A música portuguesa a gostar dela própria”.

“Atualmente são as mulheres que, em grupos exclusivamente femininos ou mistos, cantam as vozes que formam a polifonia vocal, sendo por isso as principais detentoras do conhecimento diferenciador desta prática”, explica a DGPC, em comunicado.

O próximo passo vai ser candidatar a expressão artística de Soajo à UNESCO com o objetivo de a classificar como Património Cultural Imaterial da Humanidade.