Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta quarta-feira, 1 de abril, que abarca os dados recolhidos até às 24.00 do dia anterior, Arcos de Valdevez tem 11 infetados ativos e um morto pelo novo coronavírus. Pelo menos até ontem, não havia casos confirmados de infeção em Soajo.

A primeira vítima mortal por Covid-19 no concelho é uma idosa de 91 anos, natural de Grade. Faleceu no hospital e era utente do Centro Paroquial e Social de Santa Maria de Grade (que alberga três utentes soajeiros), onde uma funcionária na semana passada tinha testado positivo. Entretanto, outros idosos e uma segunda cuidadora revelaram sintomas do novo coronavírus, tendo sido transportados para o hospital de Viana do Castelo. Até ver, os funcionários e os seniores sem sintomas mantêm-se na referida IPSS, onde esperam o resultado do rastreio efetuado à Covid-19.

Por muito boas que sejam as práticas na organização do trabalho, os utentes dos lares pertencem ao grupo dos mais vulneráveis (tanto pela idade avançada como pelas patologias associadas que muitos têm). Para salvaguardar eventuais cenários de emergência, estão disponíveis neste concelho espaços para um alojamento coletivo de seniores. Mas não basta alojar, “é preciso garantir um serviço de resposta às pessoas, nomeadamente a alimentação e o acompanhamento específico”, defende João Manuel Esteves.

Enquanto isso, os primeiros casos de infetados nos Arcos evoluíram favoravelmente. Mesmo os que estiveram em cuidados intensivos ou entubados, apesar da lenta convalescença, conseguiram recuperar, e a maioria encontra-se agora em vigilância domiciliária, informou a vereadora da Saúde (e médica de profissão), Belmira Reis, no passado dia 27 de março.

Variações

O número de infetados nos Arcos e nas restantes localidades tem sofrido flutuações de dia para dia, “porque alguns doentes vão recebendo alta, enquanto outros acabam por testar positivo depois de revelarem sintomatologia suspeita”, explica Belmira Reis.

De acordo com o apurado, à espera de resultados laboratoriais estão dezenas de arcuenses com sintomas (compatíveis com a Covid-19), que, fruto dos contactos estabelecidos, colocaram centenas de indivíduos em vigilância domiciliária (de forma preventiva).

Testes

Uma das principais preocupações da rede de saúde reside na abertura de centros de testes. Desde 30 de março que a ULSAM passou a disponibilizar o primeiro centro de diagnóstico móvel para a Covid-19 no distrito. Neste modelo Drive Thru, os doentes referenciados deslocam-se dentro do seu veículo até ao ponto de recolha sem contacto com outras pessoas, diminuindo, deste modo, o risco de infeção em cada colheita.

De referir que o teste só poderá ser feito mediante prescrição pelo médico de Medicina Geral e Familiar do Centro de Saúde.

Foto: Ciência Viva