Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Quinta-feira, 16.05.19

Fardas usadas pelos sapadores não têm todas a mesma resistência à chama e ao calor

Normalmente só se fala dos sapadores florestais para lembrar o trabalho destes profissionais na espinhosa missão de prevenção e combate a incêndios (para além de muitas outras funções), mesmo quando há necessidades identificadas por estes homens e mulheres no terreno. Ora, uma das questões, de vincada importância, é a dos equipamentos de proteção individual (EPI).

Para salvaguardar a segurança dos sapadores florestais, protegendo-os do calor e da chama, são usados tecidos com propriedades ignífugas (incombustíveis), mas a resistência das fibras varia de material para material. Os EPI confecionados a partir de algodão não garantem, com efeito, a mesma resistência do que os que são produzidos a partir de aramidas (nomex).  

A este respeito, segundo apurou o blogue Soajo em Notícia, as brigadas dos sapadores afetos a vários Baldios do concelho trajam vestuário de trabalho (dólman, t-shirt...) feito à base de algodão ignífugo, que, embora sendo material homologado, está longe de ser o mais adequado. Para se ter uma ideia da diferença entre os EPI, basta dizer que os tecidos de algodão ardem a uma temperatura de 255ºC, enquanto os correspondentes de nomex apenas são combustíveis a uma temperatura de 800ºC.

Composição dos EPI 

Segundo os manuais de equipamentos de equipas de sapadores florestais, o vestuário de trabalho mais utilizado nos EPI de combate aos incêndios florestais é feito ou de algodão ou de aramidas.

O algodão apresenta resistência à chama e ao calor através da aplicação de produtos químicos ignífugos para as fibras de algodão. Mas a resistência do tecido de algodão vai depender da qualidade e das propriedades dos diferentes produtos químicos aplicados, pois nem todos apresentam as mesmas características.

Já o nomex é um tecido produzido à base de aramidas, que são fibras com propriedades resistentes ao fogo, ao ácido e a outros materiais corrosivos, possuindo também uma grande estabilidade estrutural, impedindo a transmissão do calor.

Quer o algodão ignífugo quer o nomex cumprem ambos a sua função para a qual foram concebidos, nomeadamente garantir proteção contra a chama e o calor, mas existem diferenças muito significativas entre eles.

Assim, por comparação com o algodão ignífugo, o nomex encolhe muito menos, não enruga, não desbota, seca mais rapidamente, tem maior durabilidade, perde muito menos propriedades com o uso e com as lavagens, é mais resistente, oferece maior transpirabilidade e, claro, é mais caro.

Em resumo, é tudo uma questão de dinheiro e de prioridades…

Foto extraída do Manual de Equipamento de Equipas de Sapadores Florestais

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:24


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2019

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031