Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Como em anos anteriores, o Município vai oferecer os cadernos de fichas aos alunos do 1.º e 2.º ciclos – com escalão A e B – matriculados nas várias unidades do Agrupamento de Escolas de Valdevez (AEV) em 2020/2021, incluindo a Escola Básica da Eira do Penedo, em Soajo. Os restantes estudantes, mediante voucher a descontar em papelarias/livrarias locais, vão ter um desconto de 50% no valor de aquisição dos cadernos de apoio referentes às disciplinas que integram o plano curricular nos dois ciclos iniciais. No total, a medida acarreta um investimento municipal máximo de 30 mil euros.

“A proposta vai no sentido de atribuir aos alunos desfavorecidos economicamente do 1.º e 2.º ciclos o valor de 100% do respetivo custo dos livros de fichas, enquanto os alunos sem apoio dos Serviços de Ação Social Escolar (SASE), terão direito a uma contribuição de 50% do valor de aquisição dos livros”, diz a vereadora da Educação.

A proposta do Executivo, que foi aprovada em reunião camarária no passado dia 14 de agosto, financia as fichas pelo valor real de mercado (conforme os preços tabeladas pelo Ministério). “Este dossiê já foi abordado com o Agrupamento de Escolas de Valdevez (AEV), a Associação de Pais e Encarregados de Educação do AEV e as livrarias, tendo ficado estabelecido que os meninos com 100% de apoio receberão os livros de fichas na escola, já os demais podem levantar nas livrarias locais os livros com 50% do custo”, acrescenta Emília Cerdeira.

Por seu lado, o edil João Manuel Esteves sublinha que “esta medida visa aliviar o esforço financeiro das famílias no arranque do novo ano letivo”, que começa entre 14 e 17 de setembro.

Integrada na política socioeducativa, a decisão da Câmara é paralela à de muitas outras edilidades, mas existem municípios, como o de Lisboa, que estão a oferecer, de igual modo, os manuais do 3.º ciclo e do secundário, sendo que o Ministério da Educação passou a oferecer os manuais a todos os alunos do primeiro ciclo desde o ano letivo 2017/2018.

Globalmente, a gratuitidade dos manuais e das fichas na rede pública encerra um apoio substancial e significa uma poupança de centenas de euros para cada agregado familiar. Não entram neste cálculo os recursos didáticos (dicionários, prontuários, gramáticas…) e os materiais audiovisuais/multimédia (CD e DVD), que, em caso de necessidade pedagógica, terão de ser adquiridos pelas famílias.

Voltando aos manuais, começou no dia 13 de agosto a distribuição, pelo Governo, dos vouchers para aquisição dos manuais escolares para os alunos de início de ciclo – 1.º, 5.º, 7.º e 10.º anos. “Só para estes quatro anos de escolaridade, no primeiro dia, já foram disponibilizados mais de 700 mil vouchers”, anunciou o Ministério da Educação.

Os “vales” para os restantes anos foram entregues antes, ao todo foram distribuídos cerca de 5 milhões de direitos.