Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Educar é muito mais do que ler, escrever e contar. Partindo desta ideia, os meninos do Jardim-de-infância e os alunos da Escola Básica (1.º ciclo) Eira do Penedo, conjuntamente com as professoras e a preciosa ajuda de uma encarregada de educação, cultivaram, ao longo do ano letivo 2018/2019, uma horta em terreno anexo (pertencente à escola). O projeto, adaptado ao meio e devidamente integrado no plano de estudos, afirmou-se como uma experiência de “aprendizagem ativa” fora da sala de aula.

“Para além de cumprir o desígnio educativo nacional, esta atividade visou promover uma transformação vivencial, aliando a teoria à prática/realidade experienciada na escola e no contexto da comunidade”, sublinham as professoras Maria Helena Morais e Luísa Cardoso.

Tendo por base estes “princípios”, a equipa pedagógica conseguiu "desenvolver um projeto de alfabetização ecológica de âmbito multidisciplinar”, permitindo alargar saberes a “todas as áreas disciplinares”, mediante o uso de “materiais concretos”, a realização de “experiências científicas” e a perceção da “noção de interdependência ecológica”.

Da horta foram saindo “essencialmente leguminosas que a maioria das crianças/alunos não gosta de comer!”, brincam as professoras. Mas, contrariando esta tendência, e “em articulação com a diretora do Centro Paroquial e Social de Soajo”, os produtos “foram confecionados em diversas receitas, tendo o resultado sido excelente”.

Para o êxito desta iniciativa foi determinante o empenho da comunidade escolar. “Os meninos do pré-escolar e os alunos da escola primária estiveram sempre implicados nas várias tarefas: sensibilização e implementação do projeto, preparação do terreno e construção de canteiros; sementeiras, plantações, tratamentos e monitorizações; mobilização e aplicação de conhecimentos relativos ao ciclo vegetativo das plantas, controlo de pragas, etc.; colheita dos legumes e inclusão dos produtos colhidos nas refeições”.

Ao longo do ano escolar, para além do contacto direto com a natureza”, foram “desenvolvidas diversas aprendizagens”. “Procurámos estimular uma aprendizagem ativa e fomentar uma melhor consciência ecológica, favorecendo, deste modo, um melhor conhecimento do meio, bem como a promoção de conceitos matemáticos, a destreza motora, a criatividade, o desenvolvimento emocional ou a responsabilidade”.

Segundo as professoras Helena e Lúcia, “a maioria dos pais e dos encarregados de educação gostou da iniciativa, sendo de destacar a participação direta de uma encarregada de educação nos trabalhos de 15 em 15 dias”.

Fotos cedidas pelas professoras