Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.



Sexta-feira, 12.01.18

Jovem empreendedor fala dos caminhos trilhados pela empresa Soajo Nomadis

ML1.jpg

A empresa Soajo Nomadis “nasceu em dezembro de 2015” para complementar a oferta turística, adicionando a animação ao alojamento, fruto de uma necessidade identificada pelo seu mentor, com base na experiência dele no setor das casas de turismo. O empreendedor de que se fala é Manuel Lage e tem 24 anos.

Passados dois anos sobre a criação do referido segmento, as atividades de lazer à volta da natureza vieram “aumentar o tempo de estada dos hóspedes nas casas de turismo” e com isso é a economia local que ganha escala e beneficia diretamente com os turistas a procurarem mais a restauração, por exemplo.

Os números e os relatos revelam que Soajo Nomadis tem conseguido fazer um bom aproveitamento turístico dos recursos culturais e ambientais que o território tem para vender. Por isso é que a empresa em questão vende cada vez mais aventuras pelos trilhos que atravessam a natureza do único Parque Nacional.

Uma das atividades mais requisitadas pelos forasteiros consiste, precisamente, na caminhada pelos trilhos, forma de descobrir as belezas naturais do território. Mas Soajo Nomadis também organiza pequenos roteiros e faz programas específicos e adaptados às preferências de quem os procura.  

Sem novidade para o grande público, são preciosos aliados dos operadores turísticos que desenvolvem atividade no território o rio e a serra; o património construído (casario, espigueiros, ruas graníticas…) e o Parque Nacional; a cultura e as tradições ancestrais; a gastronomia e os produtos endógenos; a pacatez e a segurança…

26024065_754059768113114_7127744486909251086_o.jpg

Como é que nasceu a empresa Soajo Nomadis?

A empresa surgiu como consequência de uma ideia maturada e com suporte, porque eu já tinha as casas de turismo. Com o alojamento, apercebi-me de que fazia falta uma empresa de animação turística em Soajo para oferecer atividades de lazer ou entretenimento para os turistas. É isto que explica o aparecimento da empresa Soajo Nomadis.

Porque é que escolheu o nome “Nomadis”?

O topónimo “Soajo” tinha de constar no nome, porque é a palavra com a qual me identifico mais. Já o termo “Nomadis” é uma adaptação da expressão latina nomas [evoluiu para "nómada", que significa errante] com o intuito de levar o nome de Soajo fora de portas, tanto a nível nacional como internacional.

O que é que a empresa oferece aos turistas? E qual o público que mais procura os vossos serviços/produtos?

O nosso público é abrangente, não somos esquisitos… Neste momento, estamos a trabalhar mais com o turista estrangeiro, exatamente o que chega às nossas casas de turismo. Por gestão de negócio, prefiro não divulgar outros pormenores.

Quais as atividades mais procuradas?

Estamos a vender, principalmente, caminhadas e trilhos pedestres, também designados de trekkings. As caminhadas são temáticas ou não, conforme a vontade do cliente, e podem ser de poucos ou muitos quilómetros.

Também fazemos tours de jipe (4x4) em diferentes espaços (montanha, termas, castelos, fojos…), assim como atividades de observação de aves com um técnico capacitado.  Temos, ainda, a iniciativa “Pastor por um dia”, em que o turista veste a pele de um pastor, acompanhando um rebanho (“Churra do Minho”) durante um dia pela montanha. Paralelamente, há visitas guiadas a vacarias e galinheiros, sendo estas atividades temáticas mais vocacionadas para crianças. Já levámos turmas de escolas a esses locais.

A partir de abril, desenvolveremos paddle [remo em pé] e canoagem na albufeira de Soajo/Lindoso.

Diga um ponto forte da empresa.

A empesa Soajo Nomadis adapta-se facilmente ao turista. Se há um turista que tem um grupo de 12 pessoas, com vontade de andar bastante, consigo oferecer um trilho de 35 ou mais quilómetros, tanto na serra de Soajo como noutra área do PN. Ou seja, os trilhos são adaptáveis ao público.

Qual a origem dos turistas em função do tipo de oferta turística/evento?

O alojamento com atividade de animação turística é procurado por estrangeiros, sobretudo franceses, ingleses, finlandeses, espanhóis (Galiza e Catalunha), australianos, neozelandeses e norte-americanos. Em tempos recentes, desde há oito meses a esta parte, tem-se verificado uma procura de turistas brasileiros.

Por sua vez, os eventos datados destinam-se ao público nacional. A título de exemplo, seria o caso da organização de uma caminhada para daqui a 15 dias, com promoção na Internet e Facebook.

Que retorno tem dos turistas e quais os comentários habituais?

Em relação às casas de turismo e atividades de animação, numa escala de 0-5, a crítica de avaliação está em 4,8, o que é muito bom.

Qual o tempo médio de estada (em noites) por hóspede?

No alojamento não há restrições, o hóspede tanto pode ficar uma, cinco ou dez noites. De qualquer modo, a estada média varia de três a cinco noites.

Que dado mais significativo é que destaca desde que acrescentou a animação ao alojamento? Esta complementaridade ajudou a aumentar o tempo de estada dos hóspedes?

Sim, sem dúvida. Em relação às minhas casas, em dois anos, há um acréscimo de 35% do tempo de estada dos hóspedes, o que é fantástico.

É empreendedor turístico e turista quando não é operador. Em termos de experiência, o que é que tem bebido das viagens feitas pelo mundo?

Tenho bebido um cálice sagrado pela Letónia, Lituânia, Inglaterra, França, Itália, Espanha... As minhas viagens pelos Alpes franceses e italianos, Pirenéus, picos da Europa ou pela serra Nevada (em Espanha) têm sido “ferramentas” indispensáveis pela informação que aportam. É conhecimento que tenho vindo a aplicar aqui, algo que continuarei a fazer no futuro.

Em que medida é que a Junta de Freguesia, as associações locais, as unidades de restauração e os produtores de Soajo são bons parceiros da atividade que a Soajo Nomadis desenvolve?

São todos bons parceiros. É verdade que temos poucos produtores a trabalhar connosco, porque também não houve um clique da nossa parte para ir com eles, mas, por exemplo, em termos de restauração temos tido a capacidade de levar grupos aos restaurantes de Soajo.

É possível viver só do turismo em Soajo?

Sim.

26025864_754060744779683_6868829988620295639_o.jpg

26023908_754060441446380_7101216227381249676_o.jpg

25790874_754059371446487_8022525971464898308_o.jpg

25790770_754061021446322_7037415203613309055_o.jpg

25627180_754059868113104_1209354637494866437_o.jpg

25626998_754059331446491_5989871872452340417_o.jpg

25626458_754060258113065_7533564460706638280_o.jpg

25626315_754059328113158_1672013527287630429_o.jpg

25626229_754060934779664_5477116294550865210_o.jpg

26023845_754059294779828_6964888836608670860_o.jpg

Fotos de animação turística: Soajo Nomadis

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Soajo em Notícia às 18:03



Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031