Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

O Governo já arrancou com a iniciativa de promover concursos de edifícios para serem recuperados e geridos por privados para fins turísticos. O programa “Fundo Revive Natureza”, que engloba 96 imóveis entre casas de guardas-florestais, escolas primárias, sedes de serviços fiscais, sedes de serviços florestais e moinhos, não abarca nenhuma das várias casas florestais ao abandono em território soajeiro, apesar de a tutela ter privilegiado os edifícios em espaços com valores patrimoniais naturais. O concurso do primeiro lote, de 16 imóveis, que foi lançado no passado dia 21 de julho, engloba, na sua maioria, antigos postos de guarda-fiscal.

De acordo com o cronograma divulgado pela secretária de Estado do Turismo, Rita Baptista Marques, além do concurso agora lançado, um segundo lote será disponibilizado em outubro próximo, constituído por 26 imóveis, e um terceiro, com 54 imóveis, no final do ano.

Segundo a lista geral publicada em Diário da República, no conjunto dos 96 imóveis, do domínio privado do Estado a recuperar, incluem-se quatro do distrito de Viana do Castelo, nomeadamente os antigos postos fiscais de Viana do Castelo, da Amorosa (Viana do Castelo), da Foz do Lima (Viana do Castelo) e da Carvalha (Campos, Vila Nova de Cerveira).

Segundo o que está disposto no programa, os imóveis terão de ser orientados para pequenos negócios ligados a áreas como restauração, animação turística e alojamento. Em troca da concessão, até ao limite de 25 anos, quem fica com o imóvel tem de pagar uma renda anual ao Estado.

O Revive Natureza vai ser gerido por um fundo imobiliário específico com 5 milhões de euros para apoiar a recuperação dos 96 imóveis.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.