Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

Soajo em Notícia

Este blogue pretende ser uma “janela” da Terra para o mundo. Surgiu com a motivação de dar notícias atualizadas de Soajo. Dinamizado por Rosalina Araújo e Armando Brito. Leia-o e divulgue-o.

O presidente do Município de Arcos de Valdevez reuniu-se, no passado dia 10 de julho, com a secretária de Estado do Turismo, Rita Baptista Marques, que, em visita ao Alto Minho, realizou diversas atividades de desporto de natureza na albufeira de Touvedo/S. Jorge, ficando a par de “algumas situações” no setor que tutela.

“Tive oportunidade de abordar dois ou três projetos, nomeadamente o referente ao Hotel do Mezio [Casa do Mezio & Nature Hotel], tendo eu pedido à governante que o Turismo de Portugal (TP) tivesse uma interferência maior ou que, pelo menos, fizesse uma avaliação mais rigorosa relativamente à situação da unidade hoteleira, pois é nossa opinião que o TP tem uma palavra fundamental no processo através do Fundo de Turismo”, defende João Manuel Esteves, adiantando que já foram encetadas diligências com alguns agentes para se encontrar uma solução para o caso.

Para ajudar a sanar o imbróglio, a secretária de Estado do Turismo comprometeu-se a visitar o concelho de Arcos de Valdevez, sendo de prever que, nessa ocasião, a Câmara reclame também mais envolvimento do Governo com vista à materialização de outros projetos ligados ao turismo na região.

Encerrado em agosto de 2017 com a promessa de expansão e renovação, o Hotel do Mezio nunca viu as obras saírem do papel, estando o imóvel ao abandono e a degradar-se de dia para dia. Pelo meio, chegou a ser anunciada a licitação do empreendimento a 21 de maio de 2018, mas tal não aconteceu devido a uma ação que o Conselho Diretivo dos Baldios da Freguesia de Soajo moveu na altura contra o promotor para revogar o contrato, por falta de pagamento das rendas acordadas, facto que ditou o cancelamento do leilão.

De acordo com o plano de investimento do grupo detentor do imóvel, a obra de alargamento, licenciada pela Câmara de Arcos de Valdevez, previa a duplicação dos 25 quartos existentes, a construção de duas piscinas exteriores e a ampliação do restaurante.

Recorde-se que, nos dois anos em que funcionou, a unidade hoteleira (inaugurada em julho de 2015) foi, regularmente, notícia por motivos como o despejo de detritos para a encosta contígua, a inexistência de uma estação de tratamento e a falta de licença de utilização de recursos hídricos (até junho de 2016 pelo menos).

“Seria ótimo encontrar promotor”

Esta não é a primeira vez que o presidente da Câmara se manifesta publicamente em relação à situação do Hotel do Mezio, que foi construído com fundos europeus. Em fevereiro de 2018, o edil referiu que “seria ótimo encontrar um promotor para colocar o processo a andar. Uma vez que [o empreendimento] está construído, agora é preciso pô-lo a mexer. É muito importante para a estratégia de visitação do Parque haver infraestruturas de alojamento”, disse na altura o autarca João Manuel Esteves.